Qual é o melhor Regime de Tributação para a sua empresa?

A resposta para essa pergunta é de vital importância para os gestores empresariais, pois a escolha indevida de um Regime de Tributação pode anular qualquer esforço feito na operacionalização do negócio.

A Legislação Brasileira oferece vários regimes de tributação que devem ser analisados e ponderados antes da escolha daquele que melhor se adapte ao seu negócio. Em linhas gerais, são três os mais conhecidos e escolhidos pelas empresas: Regime de Tributação pelo Lucro Real Trimestral, Regime de Tributação pelo Lucro Presumido e Simples Nacional.

Em que eles diferem? Embora algumas atividades sejam exclusivas de alguns deles, o faturamento (Receita Tributável) já se torna um indicativo limitante para a flexibilização da opção. Empresas com faturamento de até R$ 4.800.000,00/ano podem estar alocadas no Simples Nacional. Se acima desse valor e até R$ 78.000.000,00/ano, alocam-se na opção pelo Lucro Presumido ou Lucro Real Trimestral. A partir desse valor (R$ 78.000.000,00), a exigibilidade é pelo Lucro Real e suas variantes, ou seja, Balancete Suspensão ou Estimativa.

Além dessas, outras condicionantes devem ser consideradas no momento da escolha, a qual envolve outros parâmetros de relevância que afetam o resultado da empresa. A escolha deve considerar não somente a questão numérica (valores monetários), mas também os elementos que envolvem os relacionamentos comerciais dos envolvidos. Explico: a escolha de um regime de tributação em detrimento de outro – por se pagar menos tributo com o escolhido sem levar em consideração que esse escolhido não oferece condições para o cliente recuperar alguns dos tributos pagos pela compra – pode afastar o cliente de seu negócio, pois as empresas prezam pela possibilidade de recuperação de tributos nas compras.

Com isso, é imperativo, nesse período, a conversa com o profissional de contabilidade de seu negócio para que, em conjunto, se verifiquem quais são as possibilidades existentes na legislação tributária para que se escolha o regime de tributação adequado para o seu negócio, evitando, assim, o aumento da carga tributária que comprometa o resultado de sua empresa.

Caso você tenha alguma dúvida ou queira informação adicional sobre o tema, entre em contato conosco para podermos ajudá-lo.

João Daniel Quagliato,

Contador, Economista, Pós-Graduado em Contabilidade e Finanças,

Consultor Econômico-Financeiro e

Professor de Pós-Graduação na área de Negócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *